terça-feira, 18 de abril de 2017

Monica e as entrevistas de emprego

Contas pra pagar, família pra cuidar, hobbies pra bancar, viagens dos sonhos, abrir uma empresa um dia, ganhar dinheiro com o negócio próprio... Seja qual for sua necessidade ou desejo, a verdade é que (infelizmente) grande parte das vezes precisamos de dinheiro e principalmente experiência para determinadas coisas.
Com as situações atuais, não é de se surpreender que muita gente está procurando emprego ou dando seus pulos pra ter como se sustentar. Bem, não estou fora disso!
A gente ainda dá "sorte" de conseguir uma entrevista de emprego e não é nada tão animador saber que você vai concorrer uma vaga junto com outras mil pessoas na mesma situação ou ter que esperar a resposta do RH pra saber se "vai ou racha" (e sinceramente? Grande parte das vezes é vácuo, isso se você não foi indicado na empresa por algum amiguinho/coleguinha). Fico rindo dos memes do Entrevistamento, mas estou achando (ACHANDO?! Certeza!!!) que isso de fato acontece. Trágico pra não dizer cômico. Não vim falar dos empregos alheios, mas sim das minhas experiências em ENTREVISTA de emprego. Recentemente passei por uma seleção e percebi uma diferença bem grotesca entre um e outro (das três vezes que fui chamada de 487878485454554 envio de currículos). Achei que seria interessante compartilhar com vocês.

Nunca pensei que fosse rolar algumas "militâncias" (e alguns palavrões que de uns anos pra cá tenho evitado escrever bastante) nessa postagem, porém, achei necessário! Desculpem em "dar chilique" e acharem meio sem noção eu soltar esse tipo de conteúdo, pensei muito se soltava isso ou deixava quieto. Prometo que faço postagens mais legais e engraçadas na próxima pra compensar todos ♥


Esses casos que eu vou contar agora são minhas experiências pessoas, ou seja, as coisas que aconteceram comigo podem não acontecer (ou não aconteceram) com você. Em todo caso, compartilhar um pouco da minha visão e dar umas dicas podem evitar certos "desastres" e prevenir nunca é demais!


 Cap. I - Inexperiência e salário alto? Missão (quase) impossível 

A vaga era estágio para assistente de estilo e fui chamada via inbox do Facebook, pois o anúncio foi feito dentro de um grupo de estágio da rede e me interessei. A primeira vez que fui chamada, fiquei bastante nervosa. Era num lugar bem complicado de achar (ainda bem que fui um dia antes pra conhecer o local) e não sabia como me portar, então na dúvida, fui um pouco mais "chique" pra ver se passava boa impressão. Chegando lá, notei uma coisa engraçada: todas as meninas tinham mais ou menos a minha aparência (altura, etnia e tipo físico). Não me recordo de ter lido no anúncio que precisava ter um "padrão". Não sei se foi alguma coincidência (se não, é coincidência demais pra mim. Fiquei meio incomodada sim!). Chegando a minha vez, fui andando como se fosse modelo (hahahaha) até a sala, me sentei e entreguei meu CV e a recrutadora começou a me fazer várias perguntas. Ela disse que realmente minhas habilidades eram muito boas, mas a pergunta do "você não teve nenhuma experiência antes?" me deixou... Irritada! PUTA QUE PARIU, SE É UMA VAGA DE ESTÁGIO, COMO DIABOS VOU TER EXPERIÊNCIA ANTERIOR? EXPLICA ISSO, SENHOR!
Fui totalmente despreparada quando me perguntaram "qual a sua pretensão salarial?" e respondi um valor alto (acima de mil). Detalhe para uma coisa importante aqui: a vaga é de ESTÁGIO, e... Bem... Estagiário significa "despesa a mais pra empresa" (palavras da senhora minha mãe). Acham mesmo que eles seriam loucos de contratarem uma inexperiente e pagar um salário desses? Só se você tiver muita sorte e olhe lá. Obviamente depois que saí da entrevista, É ÓBVIO que só por essa pergunta eu teria sido eliminada (AIN' BIAL, NÃO TENHO MAIS AFINIDADE COM A CASA #BBB).
Depois dessa experiência, colhi todos os meus erros e pensei "bora' pra próxima, fazer o quê?".

Cap. II - Aparência e Preconceito 

A segunda vez que fui chamada, foi por uma ex-aluna de uma professora que dava aula na minha faculdade. Ela disse que procurava um padrão de pessoa (OLHA AS "APARÊNCIAS", aka: padrões, DE NOVO! Lembra que comentei antes sobre? Pois é!) e foi falando com as meninas que tinham meu físico. Me enviaram o contato, que era por Whatsapp, e mandei mensagem (GZUIS', PRA QUE EXISTE EMAIL?). Conversei e me marcou uma entrevista. SÓ QUE tinha sido marcada bem no dia que precisava fazer umas fotos pro meu TCC e eu já estava com o tempo bem apertado. Tive que administrar bem as horas. Depois que fiz as fotos do TCC, fui correndo pra lá. Além de ter me perdido, cheguei 10 minutos atrasada (POR SORTE, tinha 3g pra avisar), olha que lindo. Senti que não era pra ser...
A entrevista começou bem e fui apresentada a loja. Uma lojinha lindinha e pequena, porém confortável e tinha umas roupinhas super gracinhas! As pessoas me pareciam agradáveis e me receberam muito bem. Lendo assim, parece que foi ótimo, né? ERRADO (ou quase, talvez esteja sendo exigente demais). A entrevistadora não me tratou mal (muito pelo contrário), só que senti que parecia que eu estava lá de favor e obviamente não atendia aos requisitos. Detalhe: não foi falado do que era a vaga anteriormente, mas como estava procurando estágio (OI DIPLOMA, SEU SUMIDO, HAHA), estendi um pouco a conversa pra ver que bicho que ia dar (vai que eu curtia o trampo?)...
Conversa aqui e conversa ali, fiquei um pouco decepcionada por ter colocado um pouco de expectativa demais na vaga, talvez. Só que o que me fez sair de lá FURIOSA é ela ter mencionado o fato que ela dá muita (ou total) preferência a quem tinha minha aparência. Vocês devem ter pensado "mas Monica, desperdiçou uma chance etc e tal, poderia ter aproveitado"... Gente, não gosto de falar desse assunto (devem ter notado que tô evitando muito falar, só que não tem jeito se não expor) pois não gosto quando minha aparência prevalece minhas habilidades (não que eu seja alguém a Super Girl, né?). Se fosse alguma agência de modelos até relevava, MAS É UMA LOJA ONDE VOU LIDAR E TRABALHAR COM PESSOAS! Não é porque sou X que quer dizer que sou assim 100%. Quer dizer que uma pessoa Y, que pode ser tão capaz quanto eu, não vale de nada? Foi isso que me pareceu (pelo tom de voz então, nem se fala). Francamente, viu?! Não perguntei de salário (não que eu fizesse alguma questão), não perguntei condições da empresa... Apenas agradeci e saí bem chateada com a situação. Pra alguns, pode não parecer nada demais, mas me machuca (sim! Desculpa a "frescura" se pensou isso), me entristece saber que uma coisa dessas ocorre. Porra, estudo 4 FUCKING ANOS, FAÇO CURSOS, PROCURO CONTEÚDO (nem que seja de graça) PRA ME APRIMORAR, A GENTE SE ESFORÇA... Pra no fim minha aparência importar mais que minhas qualificações? HONESTAMENTE, VÁ SE FUDER! TÁ ACHANDO QUE MODA É BAGUNÇA É, PORRA?!

Cap. III Final (por enquanto) - Até logo e obrigada pela gentileza!

Depois dessa situação, fiquei bastante feliz com a minha terceira (e até então, última) experiência de entrevista! Depois do "porre" anterior, um pouco de felicidade é bom, né?
Uma amiga minha tinha achado uma vaga bem legal e postou no chat que faço parte e resolvi arriscar, afinal, tô precisando de emprego e grana! Minha entrevista tinha sido adiada duas vezes, o que me deixou meio ansiosa... Conversei bastante com a entrevistadora (quem vê de fora pensaria que éramos amigas de longa data) e trocamos muitos emails nesse tempo. Uma coisa que descobri é que nem sempre a entrevista é dentro da empresa e nesse caso, ocorreu dentro de um café (LINDO E MUITO CHEIROSO, MEU DEUS! ♥) próximo.
No dia mesmo, consegui me perder (isso porque conhecia a região), porém, cheguei 10 minutos adiantada. Achei que eu ia ficar nervosa, mas a moça que me recebeu foi super gentil! Chegou a me cumprimentar (como se fôssemos conhecidas) e pediu pra que eu me sentisse à vontade e realmente aconteceu isso. Talvez por não ser um ambiente muito formal e fora do local de trabalho, não senti desconforto algum. Ela foi me fazendo as perguntas e fui totalmente sincera e transparente (não que eu não tenha sido nas demais entrevistas), não foi algo robótico, mas senti como se estivéssemos conversando "informalmente". Rolou até risadas de situações engraçadas sobre coisas que ocorrem no mercado de trabalho e se desculpou pois amassaram meu currículo quando entregaram pra ela (AI AI AI AI AI, RH! TÔ DE OLHO!!!!). Me explicou as condições da empresa me deu até um papel escrito com as mesmas e pensar se realmente aceito. Quando terminou, notei que foi a entrevista mais comprida que já estive (uns 20 minutos?), mas nem percebi o tempo passar. Me despedi dela e agradeci por ter me recebido bem e saí do café.
Sinceramente? Mesmo que eu não seja contratada, foi a entrevista que mais me senti bem recebida e respeitada.
Esmola demais, o santo desconfia? Talvez, mas não anulou o fato que que fui mais bem "acolhida" do que na entrevista anterior.


Como puderam ver, passei por experiências bastante diferentes uma da outra. A coincidência é que todas elas foram na mesma região e mesmo assim, foram experiências diferentes.
Mas vocês acharam que vou parando por aqui? HAHA! CLARO QUE NÃO! Não sei qual é a faixa etária de idade das pessoas que me seguem no blog, mas as pessoas que visito ou converso pelo blog, tem mais ou menos a minha idade (ou são mais novas). Analisando coisinha por coisinha, resolvi separar uns itens que acho útil pra você, jovem Padawan, a não se meter em certas ciladas por aí. Isso é só uma das etapas, mas que m empurrãozinho pode te dar uma ajuda pra próxima etapa. Não posso dar pitaco em coisas que não passei ainda (MERCADO DE TRABALHO, COLABORA AÍ!), mas como citei lá no começo: compartilhar experiências pessoais nunca é demais.
Caderninho, caneta na mão e vamos lá!

Aos novatos, como eu, nesse mundo de cão e gato
Tive sorte que meus pais sempre me ensinaram muita coisa e me apoiam sempre que eu preciso (mesmo quando as coisas não são como eles planejam ou concordam). Acima de tudo, não só pra quem vive no mesmo teto que você (papai, mamãe, amigo, cachorro): tenha uma boa base e pés no chão! Idade é só um número (melhor conselho que me deram esses dias) e tenha forças de sobra pra enfrentar muita coisa (mesmo quando você não tem forças da onde tirar). Entendidos?

Nem tudo o que brilhar é ouro
Algumas vagas são anunciadas via Facebook ou sites de emprego (principalmente gratuitos, mas não significa que os pagos são garantidos). CUIDADO! Já vi muita vaga falsa, com informações que não condizem com a profissão (ou só quando chega lá que vê a "surpresa") e muito anunciante se aproveitando da ingenuidade alheia. Pesquise se o local e a empresa EXISTEM. Se for perfil no Facebook, dá uma olhada (STALKEIA MESMO! VOCÊ OLHA AS FOTOS DO CRUSH QUE EU SEI! /apanha) no perfil da pessoa, da empresa... Checa tudo pra não perder tempo (e não ter dor de cabeça depois). Todo cuidado é necessário.

Não seja "ignorante"
Não seja como a Andy, de "O Diabo Veste Prada", que não sabia de nada sobre a Runaway. Leia sobre a empresa, busque informações! Pode ser que perguntem como você chegou e os motivos de querer trabalhar por lá. Se previna!

Fui chamado(a)! E agora?
Nem preciso dizer que é necessário chegar na hora (ou alguns minutos adiantado, se for ansiosa como eu), certo? E vá bem vestido(a). Não precisa ir super chique ou achando que vai numa festa, nem toda a empresa é igual a outra (vai trabalhar numa loja de Surf? Acho que terno e gravata não combinam). Por isso, pesquisar é importante!

O mundo não é cruel, mas as pessoas sim
Tenha em mente que quando for buscar um estágio/emprego vai ver e aturar todo o tipo de gente (isso que estamos falando é a seleção ainda). O recrutador não é seu amigo de bar e VAI TE JULGAR SIM! Cuidado com as palavras e com seus atos.

Ah, esses estagiários...
Vaga de estágio? Não queria te desapontar, mas vão te pagar pouco. A menos que você seja alguém de muita sorte (conheço gente que ganhou muito bem, mas dá pra contar na palma de uma mão, infelizmente).

"PROCURO GENTE TROUXA PRA TRABALHAR DE GRAÇA"
Sabe o item anterior? Toma cuidado com isso aqui também (recomendo que leia). "AI MONICA, MAS É DE MODA! É DA SUA ÁREA", isso não quer dizer que em outras áreas isso não ocorra, viu?

Quem arrisca não petisca
Não tem nenhuma fórmula mágica. Você pode concordar comigo ou não, da mesma forma que posso concordar com você e outra hora não. Vivemos nos arriscando, mas não podemos ser ingênuos achando que vamos conseguir de primeira (o que NÃO acontece 99% das vezes) ou que vão ser legais conosco 24 horas. Dias de luta, dias de glória.


Espero que eu não tenha assustado muito vocês D:
Meus problemas são menores ainda, mas sei que com o decorrer do tempo vão aumentando. Sei que tenho muito a percorrer ainda e por quê não dar uma colher de chá pra vocês?
O mundo não tá fácil pra ninguém, no entanto, tento lembrar que são aos poucos que vamos construindo nossas coisas. Avalie tudo! Suas necessidades e seus planos, mas não esqueça de você acima de tudo (você é um ser humano e não uma máquina, a menos que seja uma).

Se tem alguém da velha guarda aí, me conta se teve alguma experiência diferente da minha. Quem sabe, na próxima acabe dando sorte (ou não)?

Como diz o Entrevistamento: que os empregos estejam convosco, candidatos!
Se está na mesma situação que eu: boa sorte nas vagas e sucesso ♥

Beijos e até a próxima ~

Um comentário:

  1. Uma dica importante que eu dou é: seja vc mesmo. Em tudo. Aparência, personalidade, não importa. Já fiz entrevista usando peruca pra esconder meu cabelo e foi uma bosta; no lugar onde fui contratada fui com meu cabelo pintado E solto, fiz cara de bosta quando eu percebia que a galera tava querendo se mostrar e só faltei recitar mene no meio da entrevista.

    Outra coisa: é só uma vaga de emprego. Às vezes, nem tão boa. Sei que bate o desespero (melhor que ninguém) quando a gente não acha emprego logo, mas não fique lambendo o pé da empresa pra conseguir a vaga (até porque isso não ajuda). Já vi gente se dar mal em entrevista JUSTAMENTE por conta disso.

    No mais, as coisas que vc falou são bem verdade mesmo. Isso sem falar em duas questões: indicações e, no caso de gente formada, instituição de onde veio. Eu tenho sorte porque sou da USP numa área em que basicamente todo mundo saiu de lá, mas muitas vezes a pessoa é tirada na pré-seleção porque não veio de faculdade X, ou porque não é amiga de fulane. É frustrante e é horrível, mas não tem muito o que fazer além de sentar e chorar (ou trabalhar no RH, tem que ver as opção né). O mercado de trabalho é injusto e nojento, principalmente pra mulheres. Enfim. A sociedade num geral, né? Dsclp, acho que estou divagando demais aqui ahuheuaehae


    PRIMEIRAMENTE FORA TEMER acho q to meio atrasada e agora?A AHEUHEAUAEHAEUHAEUAEHEA Tem vários jeitos de fazer essas pedrinhas, um deles foi o que eu ensinei, com epoxi e tal. Tem de resina, que é fácil também, só dá mais trabalho (porque dependendo do que for tem que fazer molde). Há quem use resina que não é nem epoxi, nem transparente, mas eu nunca testei pra dizer como funciona. E eu to de alta da cirurgia há um tempo já, mas ainda to com o corte cicatrizando, e pensando em tatuar alguma coisa caso a cicatriz fique muito evidente hahaahah XD

    Beeeeijo!

    ResponderExcluir

Antes de tudo: tenha bom senso ao fazer seu comentário.
Qualquer inconveniência, spam e "seguindo, me segue de volta" será ignorado (e apagado).

Obrigada por comentar e visitar meu blog! ♥