terça-feira, 7 de março de 2017

O que eu aprendi com: ser E estar sozinha

Olááááá! Eu sei que demorei e talz... Sabecomé', feriadinho, mandando emails importantes *cofcofcof* etc. Estava enrolando pra tentar postar esse texto. Reescrevi, escrevi, tirei coisa, botei de volta... Não sei se consegui transmitir a mensagem. De qualquer forma, acho que agora vai! ᕕ( ᐛ )ᕗ

Aproveitei usar uns avatares bem antiguinhos de fórum (aka: Poupée Girl) e achados nesses LiveJournals. Espero que fique agradável a leitura pra vocês!


Às vezes, pensamos que somos a pior pessoa do mundo. Tem dias que penso seriamente sobre isso, principalmente em dias que estou só e começo a pensar em muitas coisas.
Os vários "pés na bunda", "tapas na cara" que levei na vida e não entendia...
Se fosse há 4 ou 5 anos, talvez eu estaria chorando as pitangas, tomando sorvete assistindo filmes tristes (mentira, assistia aqueles animes sanguinários sem nexo nenhum e que hoje, pra mim, são uma porcaria, hahahaha) ou deitada na cama, chorando escondida.
Dando essa pequena introdução, quem vê de fora pensa que hoje sou uma pessoa amargurada, antissocial, não ligo pra mais nada etc e tal... Claro que não é exatamente assim.

Sabe quando dizem pra gente que tudo que acontece tem um propósito? Tem coisas que, sinceramente, não acho. Mas tem outras que estão tão ao redor, que parece que é pra "jogar na nossa cara" pra gente aprender a parar de ser um(a) completo(a) idiota!
Assim, primeiramente... Oi! Você quer bolo? E chá? Tá meio na bad? Senta aí! Posso não ser uma Jedi experiente, mas se você é um(a) jovem Padawan em busca de conhecimento e um pouco de sabedoria, deixa compartilhar um pouco da minha EXP contigo...



Como viram no título dessa postagem, ficar sozinha(o) parece uma coisa meio complicada, né? Achava que nunca iria passar por isso. Juro pra você! Nunca concordava com meu pai que "no fim da vida, vão sobrar poucos amigos" e achava que iria manter contato com todos os ~amigos~ que fiz na escolinha e no colégio. E não é que ele estava certo? Quem disse que tenho contato com esses mesmos ~amigos~? Alguns nunca mais vi, outros não lembro nem o rosto (o nome então?! Pffffffff), perdemos contatos ou não temos assuntos, outros saíram e se foram e por fim, os ex-amigos... Realmente, se eu tenho contato com cinco é muito. Sei que para muitos, se sentir solitário é quase a mesma coisa que a morte e não vou negar, sentia a mesma coisa. Parece que forma um buraco ali, um vazio, uma frieza. Não falo isso só de amigos... Mas relacionamentos de família ou até mesmo amorosos podem acabar dessa maneira também. Seja na morte (acontece) ou por simplesmente "acabou, bola pra frente", aquele vazio dentro da gente é como se não tivéssemos apoio de nada, não saber onde segurar. Pensamos que é fácil porque já vimos outras pessoas sofrerem e a gente sempre dá o conselho de "tudo passa", mas quando é conosco parece que não é bem assim que a banda toca.

Falar que é fácil "preencher o vazio" é mentira. Quero dizer... Pra mim foi difícil. Talvez pra você possa ser mais fácil (não sei como é  sua personalidade, sua vida e  muito menos suas experiências dentro dela). Sempre convivi com pessoas ao redor e achava que quando eu mais precisasse, teria apoio, nem que fosse moral... Obviamente, por estar escrevendo esse texto, tomei na cara. Quem achava que mais me apoiava, simplesmente abandonou o barco ou simplesmente... Foi embora da minha vida. Tomou outro rumo, encontrou o que lhe fazia melhor, sem ser eu. Dói... Dói muito quando a gente fica habituado a ver aquelas pessoas todos os dias ou ter um convívio com aquele pessoal, que você acreditava que estariam do seu lado e quando menos percebe, se foram e te deixaram.
Fiquei praticamente três anos da minha vida me sentindo assim na vida escolar e mais algum tempo (uns dois, quase três anos?) quando já estava na faculdade. Se pra mim foi complicado, não consigo sentir e imaginar a dor de uma pessoa que passou mais de cinco ou dez anos (ou mais!!!) dessa maneira, ter que conviver com gente num ambiente que se sente "jogada pra escanteio". Ser sozinha não é simples assim.

Lembro de uma conversa que ouvi, por acaso, no metrô... Não era nada demais, exceto que ouvi algo que me deu uma luz: "o tempo é precioso demais pra ser desperdiçado".
Aos poucos, fui notando que estar sozinha não me parecia tão ruim o tempo inteiro. Já ouviu aquela frase: "antes só do que mal acompanhado"? Fui refletindo e vendo que "aquela coisa" que achava que era minha companhia, não me parecia uma boa ideia como no início.


Sabem quando te dizem que o "tempo é nosso melhor amigo"? De início, achava isso bobeira, besteira, conformismo. Mas de uns tempos pra cá, caiu a ficha de que o tempo é nosso melhor amigo sim! Por quê atualmente acho isso? Porque a gente começa a ocupar nossa mente com outras coisas, com outros interesses. Realmente, não é algo de imediato (antes fosse)... Então, além de tempo, paciência também é sua melhor amiga. Essas coisas devem andar juntas pra esse sentimento de "estar sozinho" ir desaparecendo aos poucos. Não é novidade pra ninguém (que me conhece, claro) que "paciência" não é minha virtude, e ser paciente está longe de ser uma qualidade minha. Além disso, tive que aprender também a criar resistência psicológica e me preparar sempre para "o pior".
Internet nem sempre é uma boa ideia para se distrair enquanto se passa por esse momento. Dependendo do seu humor, do seu estado de espírito ou sua autoestima, isso pode piorar. Me distanciei o máximo possível das redes sociais. Continuei com o Instagram apenas, comecei a mudar totalmente a minha forma de postar e ver as coisas rolando timeline abaixo. Resolvi procurar outros hábitos que pudessem me distrair: vídeos no Youtube, voltar a desenhar pra mim, ler aqueles livros "abandonados", voltar a estudar idiomas e além de ter um tempo pra refletir sobre tudo (e como recomeçar).

Agora, entramos nessa questão do título da postagem: estava sozinha nesse momento reflexivo? Estava. Porém, aprendi a dar valor em ESTAR sozinha. Esse estado só me fez perceber que perdia tempo com muita coisa: com gente que, no fundo, nunca deu a mínima pra mim, com postagens de redes sociais que não me acrescentavam em nada e, principalmente, que SER sozinha é diferente de ESTAR sozinha. A melhor época que me toquei disso foi quando fiz novas amizades na faculdade, dar valor as pessoas ali presentes, mesmo as que parecem não tão próximas de ti, mas que ainda sim, estão lá (nem que seja só pra te dar um "Oi! Bom dia"). Acreditem em mim: a sensação de que a solidão vai embora é como renascer das cinzas. Aprendemos a dar mais valor às coisas também e amadurecemos muito. Resumo da obra: você ficar sozinho(a) por uns momentos não faz tão mal quanto pensamos. É questão de refletir sobre si e ter forças pra se levantar. Se você se forçar a fazer algo, você vai acabar no estado de SER sozinho. 

Mudei. Mudei de mente, de hábitos e, principalmente, pessoas novas ao redor. Antes ter uma pessoa de apoio (nem que seja sua mãe) de verdade do que mil vão na sua festa de aniversário e na primeira dificuldade não te perguntam nem se está tudo bem.

Não tem problema nenhum ser seleto com quem entra e não entra na sua vida, basta cultivar o que te faz bem.


Nota pessoal: acho que esse foi o texto mais confuso e mal escrito que já fiz. Me perdoem :(
Quem sabe um dia eu melhore e o reescreva? Por hora é isso.

Beijos e espero que tenham curtido mesmo assim e que tenha te ajudado na bad

Um comentário:

  1. Solidão é um ema muito pertinente pra mim, porque eu gosto muito de estar sozinha e as pessoas ou não entendem ou não respeitam isso. Minha professora disse algo uma vez que me marcou muito: quando a gente está sozinho, a gente está consigo mesmo - então por que as pessoas não gostam de ficar sozinhas? Ou porque elas não gostam de si mesmas, ou porque elas se deparam com um vazio assustador mesmo. Na solidão a gente curte a própria companhia, e só assim podemos curtir a dos outros. A gente valoriza o estar com alguém por saber que estar sozinho o tempo todo não é bom, mas também valoriza as pessoa que respeitam nosso espaço. Sei lá, minha opinião sobre o assunto, hahaha!
    Acho um tema pertinente de discutir, principalmente nesses tempos em que precisamos ficar conectados o tempo todo. não precisa, gente :> socializa um pouco e descansa um pouco e, no equilíbrio, fica tudo ok!

    ResponderExcluir

Antes de tudo: tenha bom senso ao fazer seu comentário.
Qualquer inconveniência, spam e "seguindo, me segue de volta" será ignorado (e apagado).

Obrigada por comentar e visitar meu blog! ♥