sábado, 20 de dezembro de 2014

Sobre "estar velha demais" sobre algumas coisas e outras nem tanto.

20 de dezembro, chegou o dia dos meus 20 anos. Mal acordo, e já vem mensagens de muitas pessoas e amigas me desejando "Feliz aniversário". Essa data chegou como um teletransporte.



Há alguns dias, enquanto passava pela minha "crise dos 20 e poucos anos", fiquei deitada na cama, dormindo horrores e refletindo sobre todos esses anos em que vivi. Momentos dolorosos, de alegria, de neutralidade, etc. Não gosto de lembrar de certas atitudes que tomei que acarretaram em coisas nas quais não tenho muito coração e psicológico pra aguentar.

Questiono se só eu passei por isso (não exatamente desta maneira, claro).

Por favor, não mencione o passado.

Apesar de não curtir as menções passadas, é como a canção da Elsa, do filme Frozen, cita: "Não vou me arrepender, do que ficou pra trás!". Apesar da dor que ainda me persegue um pouco, é por causa dele que estou um pouco mais forte e pronta para aguentar quase impacto maior e não pisar nos mesmos erros. Eu sou um ser humano, que chora, que grita, que sorri (mesmo que pouco), que dá risada das coisas simples e que acima de tudo... Sou uma pessoa comum. Foi duro aprender, de verdade.

No entanto, cheguei a outro passo, na qual vou precisar me superar mais uma vez.

Estou praticamente a um passo da vida adulta, uma vida onde nada é 100% legal. Preocupada em conseguir um bom estágio, um bom emprego, uma boa carreira. Não só isso, como também estou rodeada de pessoas com o julgamento de "não acha que está na hora de parar de gostar de certas coisas?". Hã? Só porque gosto de... Dragões, bichinhos fofos, vídeo game onde um encanador salva uma princesa, entre outras coisas "estranhas"?
Eu sou do tipo "oi, quem é você mesmo?", normalmente sempre causo um pouco de discórdia, pois, como diria minha amiga, sagitarianos tem uma sinceridade que só jesus na causa, aí junta com um pouco de ansiedade e a péssima mania de dizer o que pensa na hora e... Prontinho! Capaz de causar uma III Guerra Mundial, não esquecendo que ironia e sarcasmo puxei da mamãe, que atura todo tipo de gente. Posso dizer que esse ano aprendi a não ter tantas papas na língua assim, pois tenho bom senso da situação e mamãe novamente ensinou a "diplomacia para aplicar em gente com mente de carroça vazia e de caixinha". Como disse em algumas postagens anteriores, muita coisa mudou pra mim, principalmente em questão de personalidade. Realmente, acredito que toda essa fase é uma preparação para eu aguentar certas, blergh, coisas da vida.

O lance de "ficar velha pra certas coisas", pra mim, era praticamente o mesmo de "isso aí é fase, depois você cai na real e para de gostar desses negócios aí". Claro que ambas as frases tem suas leves diferenças. No entanto, tipo, sempre fiquei de cara amarrada quando ouvia isso. Não sei, o fato da pessoa simplesmente me julgar só porque estou velha pra curtir determinado estilo ou ter um pensamento completamente o oposto do esperado é algo que, francamente, me irrita. "Imaturidade" e "gosto pessoal" são opostos, muito opostos, aliás e não me faz melhor ou pior.
Imaturidade, posso dizer que todos nós temos essa fase, que agimos por "modinha" (era tipo eu, de 2~4 anos atrás, xingando essas fãs de bandas coloridas) ou porque não temos noções das coisas ao redor. Nesse ponto, digo com orgulho que não tenho mais essa mentalidade, e aí sim, "estou velha pra esse tipo de coisa", errei mas aprendi. Então, no caso dos gostos pessoais, só significa que você... Simplesmente gosta de alguma coisa, oras. Creio que as pessoas acabam indo muito na onda do "tal pessoa não curte minha banda, vou julgá-la e deixa-la no chão" (essa é a impressão, na minha visão atual) ou acabam generalizando de uma forma muito absurda. É tipo essa galera, que julga pessoal que, sei lá, joga, por exemplo, League of Legends e os xinga de "bando de criança virjona e sem vida". Não sei vocês, mas faço muita questão de julgar muito mal quem tem esse tipo de pensamento. Não deveria, mas faço.
Não falando, não com atos, só de pensamento mesmo, afinal, carroça vazia sempre faz mais barulho, sempre chama E QUER atenção.

"Facepalm", é tudo o que tenho a mostrar sobre.

Em resumo, o que quero realmente dizer, é que com 20 anos ainda vejo pessoas na minha vida com o objetivo de me encaixarem em SEUS padrões, não são nem padrões sociais tipicamente falando.
Se me recuso a usar uma saia, não é porque sou menos mulher, e sim pelo motivo de "não gostar", apenas isso. Se eu curto uma banda de rock, é porque gosto do seu som. É muito entender coisas tão simples?
A frase "essa sua fase deveria ter acabado", "está velha pra isso", "não deveria usar esse tipo de roupa pra sair" e entre outras similares me incomoda. Me incomoda também outras pessoas virem mostrar ou apontar, ter a cara de pau de me soltar um: "você não acha que fulano já não tem mais idade pra fazer essas coisas?", de graça das outras.
Não nego, é complicado não julgar, só que desrespeitar alguém por conta disso já acho completamente desnecessário.
Não é porque leio "Percy Jackson" que vou deixar de ler "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (se eu gostar dos dois? Como faz?) ou se gosto de ficar em casa não me impede de sair (e pode ter certeza que ainda vão falar "você não tem idade para esse tipo de programa de fim de semana").
É muita furada e pouca paciência pra isso.

Sendo assim, tudo que tenho a dizer é:

Isso é tão engraçado que me faz vomitar.

Será que é complicado entender que, gosto é gosto e cada um é cada um? É muito fácil você se encaixar num padrão para agradar a terceiros. Se pararmos para pensar, passamos uma vida toda tentando agradar os outros e não a si mesmo.

Se eu gosto de fotos preto e branco, não me faz depressiva; se curto tomar café do que uma bebida alcoólica não me faz "adulta"; se gosto mais da vida noturna, isso não prejudica meu matutino; gosto de desenhos, isso não em faz ter mentalidade de criança, e o principal: Idade não define maturidade.
Conheço crianças de 13 anos muito mais maduras do que adultos de 22 anos pra mais.

Uma pena, pois de vez em quando, somos forçados a vestir uma máscara para ficar em "paz". Não gosto, não curto, só há casos que isso acaba sendo "forçadamente necessário" para ninguém ficar apontando o dedo, pois nossa paciência é curta e tem limite, pelo menos a minha.

Enquanto uns preferem ir na balada, porque não posso ficar em paz e saborear minha individualidade um pouco? Eu tenho que gostar das mesmas coisas que todo mundo? E quem foi que criou essa regra de "não pode curtir isso, pois já passou da idade"?

Honestamente. Humanos são criaturas problemáticas.

Olha, cada dia mais acho que as pessoas tem ficado chatas. Sei que eu, Monica, sou muito chata, mas não é pra tanto. É como cita a mais recente coluna do Fabio Porchat (ótima e recomendo a leitura): "... Me dá a impressão de que as pessoas só estão querendo reclamar. De qualquer coisa. Como aquelas idosas de cidade do interior que não têm assunto e começam a falar mal de todo mundo para puxar assunto".

Agradar as pessoas está realmente complicado... Mas quem liga? LET IT GO, AMIGOS!

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Aaaah eu escrevi um comentário gigante e o blogger não enviou T_T Mas vou escrever de novo poque sou teimosa u.u

    Eu me identifiquei com cada linhas que você escreveu! Fiz 20 anos em março, e no dia fiquei muito triste. Comecei a pensar que realmente estava velha para as coisas que eu gosto (animes, lolita, k-pop, blogs) de tanto as pessoas falarem que "estava na hora de eu crescer". Fiquei o dia todo pensando nisso, mas ainda bem que alguma força me fez pensar e direito, tipo, "é a minha vida ou a vida deles?" E eu tenho certeza que tenho atitudes bem mais maduras que esse pessoal que fica me chamando de infantil.
    As pessoas realmente parecem não ter mais nada para fazer do que se importar com a vida dos outros, como se o que gosto ou faço fosse mudar alguma coisa na vida delas, não sei poque se incomodam tanto.
    Realmente pra algumas coisas eu já fiquei velha demais e sou grata a isso, como essas fanwars, ficar xingando os modinhas ou SER modinha kkk
    Mas o fato é que eu posso ter 20, 30, ou até 80 anos, que vou continuar fazendo o que eu gosto, e isso não me impedir de ser uma adulta responsável e feliz. Serei uma velhinha que usar vestido cor de rosa, ouve música coreana e lê yaoi, deal with it sociedade!
    Não dê ouvidos a esse povo, e continue fazendo o que você gosta, até o dia em que você não gostar mais. LET IT GO~

    Tem resposta para o seu comentário lá no blog !
    ♥ Rendas e Doces

    ResponderExcluir
  3. Oiii ^__^
    Ainda tou com 18, faço 19 só em fevereiro >__< Meu namorado já tá com 20 anos e gosta dessas mesmas coisas, na verdade ama, e está bem de boa em isso. Até porque em evento de anime/ geeks e gamers sempre tem gente nessa faixa etária super otaku e com quase 30 anos ou até mais. Eu mesma vou ficar velinha assistindo anime, jogando vídeo game com orgulho e continuando a colecionar as minhas Barbies Collector xD tem até cosplay para diversas idades u__u
    Mas se bem que antes eu achava que ter 18 ano seria mil maravilhas, mas não mudou nada xD ç__ç , todos reclamam que é pq vai ter que fazer faculdade, mas ainda bem que eu escolhi um curso que gosto, agora é "só" passar no vestibular T__T *pior parte

    Post novo ^__^
    Blog:ShyandBrave

    ResponderExcluir

Antes de tudo: tenha bom senso ao fazer seu comentário.
Qualquer inconveniência, spam e "seguindo, me segue de volta" será ignorado (e apagado).

Obrigada por comentar e visitar meu blog! ♥