domingo, 30 de julho de 2017

Por quê eu gosto tanto do clipe "What I've Done" do Linkin Park? (+ bônus)

Acredito que todo mundo ficou sabendo da morte do vocalista da banda Linkin Park, Chester Bennington, certo? Pois é, parte da minha vida durante praticamente 10 anos ele esteve presente. Acompanhei até o último lançamento, Talking To Myself. Por infeliz coincidência, o vídeo dessa música foi lançada no mesmo dia de sua morte.

Fiquei pensando se fazia alguma postagem em homenagem. Não sei, me parecia um pouco "inconveniente" fazer algo assim... No entanto, vi muita gente na blogosfera e no Instagram fazendo postagens a respeito, contando suas angústias e/ou como a voz de Chester influenciou suas vidas para seguirem em frente. Fiquei inspirada e resolvi fazer algo diferente, ainda sim em homenagem, já que Linkin Park é uma das minhas bandas preferidas. Esperei pelo menos uma semana, porque pelo menos, pra mim, já teria caído a ficha de que, infelizmente, Chester não está mais entre nós e poderia escrever com mais calma.

Lembrei que no Facebook participei daquela brincadeira "9 verdades e 1 mentira" e citei "What I've Done, do Linkin Park, é meu clipe preferido". Me perguntaram se era verdade mesmo e... Sim! É verdade! É o meu clipe musical preferido e vou explicar os motivos com mais detalhes.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Meme (ou Tag): Coisas que todo mundo curte e eu nem tanto

Olááááá! Como vão?

Estava querendo atualizar isso, mas fiquei pensando no que trazer, aí lembrei de um rascunho que já estava aqui, só faltava acrescentar umas coisas e voalá'! \o/
Vi essa tag (prefiro "meme" *velha*) num canal de uma ilustradora que eu sigo e achei bem interessante! Já tinha visto em outros canais (principalmente os de ilustradores), mas nunca em blog (não nos que conheço ao menos). Adaptei um pouco o nome "coisas que todo mundo AMA e eu ODEIO", pois acho "amo" e "odeio" palavras muito fortes, no entanto, não achei substitutos à altura pra isso e achei que esse do título era o único que ficou razoável.

Acredito que não tenha um limite de itens, então é livre e escrevi os que mais me marcam.
Caso tenha alguma coisa que você goste, não se sinta mal. Não vou te odiar ou desejar que você paste, ok? ♥



segunda-feira, 10 de julho de 2017

Emoji

Todos os dias ando, durmo e tomo café da manhã com uma grande companhia: meu celular. Uso pra tudo! Fotos, joguinhos pra passar o tempo, internet, ler notícias e, principalmente, conversar por esses mensageiros instantâneos. A minha barra de notificações do WhatsApp e do Messenger são monótonas, pra não dizer vazio, admito. Mas as poucas pessoas que converso já são o suficiente. Sendo sincera, não sou lá muito adepta a essas coisas, no entanto, nesse mundo virtual e que todos têm um smartphone, é meio difícil você não "fugir" desse tipo de coisa.
Mas se tem uma coisa que me aborrece é o uso excessivo de... Emoji. Muita gente olha na minha cara e diz que pareço uma adolescente (esse meu rosto, grande parte das vezes, não me ajuda em nada), logo, parece que tentam se comunicar comigo com emojis. Principalmente em excesso, uma sequência na mesma frase! Toda vez brota um monte de "TOP" com "chorando de rir", uns dez emojis de "mandando beijos" (oi, tia! Tudo bom? Estou falando com a senhora mesmo) na mensagem de "bom dia" no grupo, isso quando não me inventam de mandar "bom dia" com um monte de estrelinhas, corações e beijos. Reclamávamos daquele coleguinha que mandava um monte de emoticons piscantes no MSN, mas quem diria que isso não mudou nos tempos modernos, não é mesmo?

Se isso só acontecesse nos mensageiros instantâneos, estava bom. Acontece que esses Emojis invadiram o mundo real. Outro dia estava numa livraria e dou de cara com uma almofada enorme daquele coco sorridente (que me dá medo, não tô brincando). Vi rondando na internet, uma marca de shampoos com emojis na embalagem. Acredita que uma vez, assistindo a um vídeo no YouTube, brotou uma propaganda de um filme de Emojis?! Estava custando a acreditar no que acabei de ver.

Antes que alguém pense que quero fazer um protesto contra o uso disso, está muito enganado(a). Assim como a febre dos Minions (que também estão em todo lugar, ainda mais com a chegada do novo filme do "Meu Malvado Favorito"), você pode usufruir como quiser, não te julgo. Eu mesma, de vez em nunca, uso emojis, só não de forma com que pareçam que estão em todos os lugares, parecendo que estou numa conversa enorme de mensageiro. A menos que a vida seja um plot twist tenebroso e alienígenas sejam Emojis disfarçados querendo dominar a Terra, fazendo uma lavagem cerebral. Gostaria que isso não fosse real. Isso não seria nada TOP 😂👌🔝
É melhor eu nem pensar nisso. Vou responder umas mensagens que estão notificando aqui. 💗💗 Beijos! 😘😘💖💖

Esta postagem é a minha primeira tentativa de fazer uma crônica, afim de me desafiar a escrever algo legal em poucas palavras. Espero que gostem e, por favor, espero que não se ofendam/fiquem chateados caso eu for irônica e sarcástica. A minha intenção é mostrar que faz bem rir de nós mesmos de vez em quando ou refletir um pouco sobre alguma coisa presente em nossas vidas cotidianas. Jamais ofenderia alguém (não sou que nem essa galera que espalha ódio por aí, prometo)! Resolvi colocar esse "alerta" apenas para evitar desentendimentos. Estamos entendidos? YAY! Espero que gostem desse tipo de texto, que é uma forma de sair um pouco da "mesmice" das postagens habituais daqui! ♥

sexta-feira, 7 de julho de 2017

O que te mantém na blogosfera?


Afinal... O que me mantém aqui, na blogosfera?
Essa é uma das respostas mais simples que tenho pra essa pergunta: LIBERDADE.

Percebi que já estou há "alguns" anos aqui (em breve terei um post mais específico pra isso, fiquem na curiosidade, hahaha) e o que as redes sociais não me possibilitam, o blog me possibilita! Não importa a plataforma ou até mesmo seus recursos, sempre dou um jeito de extravasar felicidade ou tristeza em algum texto.

Eu gosto de escrever, escrever textão (com qualidade, claro) mesmo! Não importa se é uma bobeira de como foi o meu dia nada produtivo ou reclamando de como tem gente mal educada no transporte público, o Facebook, por exemplo, não me possibilita extravasar. Sendo sincera, pouquíssima gente lê, já que hoje em dia tudo é muito rápido e assim como Brasil não comporta eventos grandes (é uma piada, não me taquem pedras), redes sociais no geral também não. Isso sem contar que não sou uma pessoa que me expõe muito nessas plataformas, logo, escrever sempre me parece uma boa ideia, mesmo que eu possa me lascar se escrever alguma bobeira, mesmo que sem querer, ou ser apedrejada por ter sido bem mal interpretada. Ossos do ofício na internet... Mas a gente desiste? Lógico que não, a gente só muda de lugar, de planos e faz história de novo.

Blog também é uma forma de eu colecionar minhas memórias. Admito que ter apagado muitas de minhas postagens, me bateu um arrependimento muito forte, sem brincadeira. Tudo bem que tinha vergonha alheia, escrita zoada, imagens/gifs sem contexto, menções a pessoas que nem fazem mais parte da minha vida e essas coisas, mas não deixam de ser memórias, boas ou ruins. Gostaria até mesmo de recuperar meus blogs ainda mais antigos só pra rir de mim mesma e ver o quanto evoluí, mas acho que isso não é possível :(

Mas a cereja do bolo é conhecer gente que se identifica ou gosta do que escrevo. Posso não saber como é o rosto, se é homem ou mulher, se mora do outro lado do mundo, se têm os mesmo gostos ou não, se vai vir sempre aqui... O que importa de verdade é a pessoa sentir algo pela postagem que fiz. Pode ser até raiva, tá valendo, hahahahaha! Porém, devo ressaltar que sempre escrevo pra mim e é uma forma de me libertar do estresse ou "preciso contar essa novidade legal pra alguém", se vêm gente comentar é lucro (se for um comentário bom, lógico que ficarei muito feliz). Isso é muito mais importante do que você escrever o que os outros querem (falo isso pra tentativa das pessoas tentarem ficar famosas na rede com esse tipo de coisa), porque na minha opinião, acaba se tornando uma obrigação e não um prazer ou hobby.

Pra finalizar e resumindo melhor a obra: o que me mantém aqui é poder ser eu mesma, de escrever o que me faz bem e de certa forma fazer com que as pessoas se identifiquem com alguma situação ou apenas gostem do que escrevo.

*Bônus* O que me mantém aqui também é a facilidade de personalizar as coisas. Sempre tento buscar formas legais de fazer um layout, mesmo que eu sofra com HTML (em anos não aprendi a fazer nada do zero, que vergonha ;x), o código não funciona ou faça o clichê de sempre. Gosto de editar, de colocar algum efeito CSS, de fazer imagens pra enfeitar o post, de caçar gifs, qualquer coisa assim me faz feliz e ajuda a distrair a mente, já que ainda estou encaminhando a ser uma pessoa mais positiva comigo mesma (isso é desde sempre, mesmo falhando ainda) e o blog me ajuda muito com isso!

Nota pessoal: percebi que escrevi "mantêm" ao invés de "mantém" na plaquinha. Os dois estão certos (um no plural e outro no singular), porém queria ter arrumado, mas eu não salvei o arquivo original de camadas, então ficou assim mesmo 8D


Antes de me despedir dessa postagem, tô participando de uma Blogagem Coletiva. Vai ter sempre um selo e vocês podem clicar para se redirecionarem ao projeto (e pode participar qualquer pessoa, só ter um blog é claro). Só seguir as regras que nada vira bagunça!

Por hoje é só. Um beijo e até a próxima!

http://togetherp.blogspot.com.br/
Esta postagem faz parte da Blogagem Coletiva do Together, 
um projeto para unir a blogosfera! Para saber mais, clique no selo.