sábado, 11 de julho de 2015

A experiência (péssima) de ser assaltada...

Olá! Como vão? 
Bom, pela primeira vez digo que não vou tão bem. Pelo título da postagem, já dá pra imaginar, né?
Pois é, pela primeira vez eu fui assaltada... Na frente da minha casa.

Mas o que venho trazer é algo que acabei pensando enquanto postava mensagens de aviso sobre o roubo de um aparelho telefônico. Todo mundo sabe que ser assaltado, furtado, ou qualquer coisa similar do gênero é ruim. Isso não é nenhuma novidade. Nunca foi.

No entanto, continue lendo... Pois quero convidar todos para uma pequena reflexão...

Hoje (11/07/2015) saí de casa para comemorar o aniversário de duas amigas muito queridas pra mim. Fomos a Liberdade! Cantamos no karaokê, comemos no Hachi Crepe Café e jogamos muita conversa fora numa roda de amigos. Um dia muito bom e divertido, afinal, eu sou uma criatura que raramente sai de casa.

No entanto, ao cair da noite, estava ouvindo música (PIOR ERRO!!!!!!) de forma discreta como sempre faço. Conheço a região e sei que não é lá muito segura, mas enfim, sempre fui uma pessoa muito atenta, nunca baixei a guarda, ainda mais nesse período. Estava lá atenta a todos os suspeitos.
Sabe quando uma pessoa surge do nada e você simplesmente fala "Nossa, de onde você surgiu"? Pois bem, só foi abrir meu bolso, abaixar a cabeça para pegar as chaves e lá estava DO NADA eu de boca tampada e meus braços "presos", surpreendida pelas costas. Tudo o que ouvi era "Não grite, passa o celular e não te machucaremos", mas mesmo "resistindo" um pouco, eles arrancaram o celular do meu bolso junto com o fone de ouvido. Pedi ao menos meu CHIP, obviamente fui respondida com um "a gente joga fora". Não estavam armados e não agiram com violência, ainda sim, fui ameaçada. Na hora senti muita raiva, fui atrás de forma minuciosa... Sem sucesso. Entrei pra dentro de casa, e avisei a todos que acabara de ser furtada. Meu pai foi comigo ver se pelo menos houvesse algum "sinal" de CHIP ou algum pedaço de carcaça... Nem! Ok... Que fim de dia, não?
Por sorte, minha mãe foi ágil e tomou as providências e fui ágil para avisar a todos que qualquer atitude suspeita envolvendo meu nome ou meu número era para ser ignorado.
Senti que pela primeira vez, o Facebook me foi útil, pensei: "Ainda bem que resolvi NÃO desativar minha conta, pelo menos nesse momento". E querendo ou não, a internet contribuiu bastante. Obrigada, século 21! Obrigada!

Passado essa situação...
Após digitado o aviso no Facebook, recebi muitas mensagens positivas de amigos e até mesmo amigos que não trocavam umas ideias (não deixam de ser minhas amigas, é claro, não classifico amizades) há um tempo, me desejaram "fique bem", "que bom que não fizeram nada de mal a você"...
Confesso que me senti muito bem, já que estava num momento de fúria (e no momento de raiva, meus amigos, NINGUÉM ME SEGURA), pensando o seguinte nesse sentimento: como raios tem gente que rouba as coisas dos outros?! Como tem gente que despreza a si mesmo furtando o que não lhe pertence?
Sim, esses pensamentos rodaram minha cabeça durante toda essa situação em que estivera "presa" e de "boca fechada", olhando ambos os indivíduos arrancando meu celular e meus fones de ouvido junto.

Mas sabe... Tirei uma lição muito mais importante depois que toda a poeira baixou: Hoje fui me divertir com meus amigos, cantamos, tiramos algumas fotos de comida (hahaha), rimos, nos aventuramos...
E isso juntou com todas as minhas lembranças: Do primeiro dia em que mamãe me presenteou com um sorriso esse mesmo celular, junto com um cartão de memória onde coloquei todas as imagens dos meus personagens preferidos, as minhas músicas, minha diversão com joguinhos incrivelmente idiotas, fotos de momentos incríveis, vídeos... Do fone de ouvido que me deu tantos problemas e ainda sim me animou nos dias chatos de metrô e me fez sorrir e rir com músicas que gostava...
Confesso que é uma pena terem levado um objeto, na qual me deram com tanto carinho. NÃO é pelo aparelho em si, e sim pelo amor de ser presenteada pela minha mãe, sendo que a mesma nunca pediu nada em troca.
No final das contas, pensando nesses pequenos momentos que, não é um cartão de memória, um CHIP ou um aparelho moderno que vou "morrer" por isso... Afinal, antes estar viva e com todas essas boas lembranças, do que ser machucada com pontapés e socos ou até mesmo morta por causa... De um aparelho celular... Que pode ser comprado novamente juntando um pouco de dinheiro e indo a alguma loja de eletrônicos qualquer. Porque boas recordações, pequenas ou não, vão muito mais além de estarem no cartão de memória, é estarem dentro de mim... E de você!




Nota pessoal: confesso que comecei a chorar... De felicidade, enquanto digitava isso aqui.
Agradeço ao universo, por sempre desejar o bem das pessoas. Aos dois que me furtaram: tudo o que vai, volta em dobro.

6 comentários:

  1. Que bom que a experiência trouxe uma 'lição' tão boa, que vai além do "não se mostre vulnerável", Monnie <3 Até porque, que culpa temos nós de sermos roubadas de algo, não? Mas daí concordo contigo, não podem roubar da gente o que somos, o que sentimos, nossas lembranças e, em suma, nosso 'eu'. Podem roubar o cartão de memória com as fotos, mas nunca a experiência vivida ao tirá-las né? <3 Novamente, espero que seja a última experiência que você tem do tipo, e que ela fique no passado u_u Bola pra frente, e que coisas boas venham por aí! <3

    ResponderExcluir
  2. Fico muito feliz por você não ter sido machucada Monica
    Imagino como deve ser revoltante alguém chegar e levar o que é seu, principalmente um objeto que carrega tanta informação e que é cada dia mais útil no nosso dia a dia. Mas o que importa acima de tudo é a vida.
    E acho o máximo você tirar uma uma coisa boa disso tudo.

    Beijos

    ps: Sobre a Pullip, eu acho que você tá falando da Lunatic Queen, ela é muito linda e está na minha wishlist <3

    ResponderExcluir
  3. Nossa Monica, eu nunca fui assaltada desse jeito (uma vez uma mulher roubou minha bolsinha de chaves (!!!) no ônibus), mas me identifiquei muito com a sua reação (eu fico muito irada: - como diabos as pessoas conseguem viver consigo mesmas fazendo coisas erradas?). Enfim.

    Que bacana que você pôde perceber todas essas coisas boas que acontecem na vida. E realmente, a lição é essa: ter saúde e pessoas que se importam com a gente é tudo que se precisa :3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem q eles foram "de boa"
    Hj em dia eles matam por nada :(
    Fico feliz em saber que ficou tudo bem ^^
    Diariodelolivlet.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Monica!

    Uma coisa a dizer para vc!
    Que bom que não te machucaram!!!! Sabe que esse mundo perdido pode ter coisa pior, pessoa ser roubada além disso assassinada... Ainda bem que vc não se machucou! Isso que me deixou aliviada de saber.
    Lembro também que ano passado eu também fui furtada, levaram a bolsa e as coisas que tinha dentro... Bom, nos não sabemos o que acontece daqui a alguns segundos, pois não adivinhemos. O país sem segurança é que nos vítimas que teremos que tomar cuidado! Nossa, não podemos mais passar tempo tranquila!

    Bom, o que estou aliviada é que não aconteceu nada com vc!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Oi Monica, tem tempo que não comento aqui né... Mas enfim!
    Fico feliz de você não ter se machucado, e não ter se apegado materialmente ao aparelho. Porém, um dos meus maiores medos é de levarem meu celular. Não por causa do aparelho em si, mas por causa de fotos que existem nele que eu não recuperaria.
    Também não entendo porque as pessoas roubam celulares. É algo tão fácil de se ter hoje que eu penso que é como roubar um pedaço de algodão, por exemplo. Mas tenho certeza que logo logo vc vai ter um celular novinho! :D
    Beijos!

    ResponderExcluir

Antes de tudo: tenha bom senso ao fazer seu comentário.
Qualquer inconveniência, spam e "seguindo, me segue de volta" será ignorado (e apagado).

Obrigada por comentar e visitar meu blog! ♥